27/08/10

Só tenho é medo. Muito, muito medo. E dantes não era assim. Uma catrefada de reviravoltas para dentro da cabeça. Mas continuo com medo. Um medo medonho e mordisco.
Estou numa derrapagem e só penso em disparates.
Vai um gole de absinto para ajudar ?
Quero recuar, rebobinar uma cassete que tenho aqui guardada e ver-me completa sem bocados espalhados por aí por serem construídos. Se é que me entendo e entendem.
Eu avisei-te e tu nem quiseste saber. Andavas sempre mais preocupada e nesse teu mundo onde tinha aparecido um novo conto de fadas. Entendo perfeitamente. Querias ser uma pessoa nova, com um rumo diferente e mais feliz. Mas, nestas coisas é raro falhar e consigo ver certas impressões em relação ás pessoas. Avisei-te e avisei-te. Vezes e vezes. Agora, que te vês nesse buraco, espero que abras os olhos e não te deixes intimidar pelo que foi alegre e amoroso um dia por se ter tornado triste e distante noutro.
Hoje, apetece-me.
Tu isolaste sem saber porquê, preferes aceitar que a mentira se usufrui de mim como se não me bastasse mais forma de lidar contigo. Estou sempre a repetir 'as aparências iludem' e por muito que o saibas e mostres esse teu ar de vitorioso, sociável, indiferente e descontraído perante os outros comigo já é outra história. Parece que quando as coisas não correm à tua bela maneira é a gota de água. Começas a disparatar e terminas por dizer as palavras mais feias que se podem dizer a alguém. Mesmo que não o mereça. Não é do teu feitio o fazeres portanto não sei por que já o fizeste e fazes regularmente. Não te entendo nem nunca vou chegar ao ponto de perceber-te. Eu sei, que quando caíres em ti vais-te arrepender de tu como das outras vezes, quando nada foi mais igual e repetido. É difícil comparecer com uma promessa e levá-la até o fim não é? Pois é. E vai-te saber a pouco quando te aperceberes que não podias ter sido mais injusto.
Pode ser é que desta vez, já seja tarde demais.

26/08/10

Devo estar a entrar em transe ou uma coisa assim!
Só me apetece mandar-me para um sitio que eu cá sei.

Se ele fosse um animal, era um gato, arisco, orgulhoso, misterioso, independente. E, se fosse uma palavra, era talvez.

É a verdade dura e crua. Se não a aceito deixa-me desencostar do caminho mais fácil que o tempo não pára e não espera por nós.

25/08/10

És um capitulo mais que fechado na minha vida.
A partir não sei de quando, mas és.
Já comecei a fazer as minhas malas e presumo assim muito de improviso que estes dias vão-me fazer respirar ar puro com muita alegria junta!
(Oiçam-me vocês aí em cima)

24/08/10

Começo com um, fala-me bem que as coisas sobram sempre para mim. As descargas com que me levanto, proporcionam-me dias completamente na descontra, como se nada se passasse. Sim, é uma forma de equilibrar os sentidos e essas tuas aquisições muito duvidosas por que se espreitam na mercê do que vai e vem. Um dia, até podes ter sido muito verdadeiro contigo mesmo, mas agora andas a errar em bruto e pouco me interessa se é tempo perdido ou mais uma falha da minha parte. Carrego sentimentos de culpa e remorsos porque indirectamente me fazes sentir assim e não, não é razão para querer que tudo seja desta maneira, nunca existiu outra, por simplesmente. Parece que nada serviu e as palavras, estas depois de ditas não deveriam ter retorno e o nosso mal foi usá-las em vão e agora já nem damos importância àquilo que representam. Para mim, deixaram de ter significado. Corroí-me, facilmente, memórias de difícil deduzo e puro esquecimento mas essas envelhecem e tudo o que é velho, morre.
Sinto-me anestesiada. Não sei se foi do choque!
Esse que me ressuscita do enjoo que me causas mas só quando há remédio.

23/08/10

A extinção dos pensamentos ás vezes podem criar problemas em relação ás palavras. Principalmente quando elas podem criar um conflito a alguém a quem não desejo. Que tenha conhecimento de algo que não lhe corresponde. Já tentei arranjar barreiras e não existe forma de travar esta coligação e leitura de textos por parte de quem não é muito desejável. Não é a maldade a falar por si. É muito mais que isso. Isto é um blog e é completamente restrito a quem o quiser ler. Mas, sinto a prioridade de reservar-me perante algo mais anónimo e só meu. Por isso, à cerca de dois meses tomei a iniciativa de clicar e ir por um novo blog. Serve, basicamente, como um esconderijo que aqui não consigo colocar e fazer de conta que ninguém com que me cruze saiba da existência de muita coisa e sim, daqueles que gostam de saber por aqui algo que não o vêem diariamente.
Nunca desejei tanto que chegasse um dia só para me ver contigo depois de tanto tempo, sentar-me e contar-te tudo até à ULTIMA.
Para a minha F.
A minha imbecilidade sabe-me a pouca concretização e forçar a verdade a ser uma mentira desmoraliza-me e falha-me nos sentimentos. Já fostes.

22/08/10

Estou com uma directa em cima. Foi uma noite muito complicada. Com as suas coisas boas e as suas coisas más mas no final de tudo, o que é que acontece ? O que sempre tem de acontecer quando nos juntamos. E não, foi tudo diferente e só as palavras é que nos fizeram ouvir e vá, umas lagrimazitas pelo caminho mas nada que não se recomponha. Hoje, deste em fazer uma cena de ciúmes porque sim é isso e não um erro mal emendado e eu vou esperar que estabilizes e voltes.
Até amanha, que preciso de descansar.
Acho que estamos mais num jogo duplo onde eu ando a jogar pelo seguro e às tantas já me vejo perdida em tanta jogada que se vai repetindo. Em vez de andar para a frente ando para trás. Deixo-te ganhar, mas só desta vez.

20/08/10

O meu maior mal é não entender profundamente aquilo que escrevo.
O que tu desconheces é que as paredes do teu coração são tão finas que daqui de fora se ouve tudo.
#30 LETTER TO YOUR REFLECTION IN THE MIRROR
Diante do espelho,
Assim de relance são uns grandes olhos castanhos em torno de um cabelo com jeitos da mesma cor da vista. E não passa de uma pequena presença de mais de 1.50, completamente aérea na tua mente muito despercebida e confusa.
Maior parte do tempo não gostas do que vês diante de ti, na tua margem de todos os teus lados e essa teimosia ninguém te a tira, já nasceu contigo. Repentinamente, sabes os teus segredos e sonhos numa fixação interminável, talvez seja a única coisa de que não te cansas de fazer, expandi-los numa separação de coisas marcadas pela ingenuidade do mundo que está lá fora. Encostaste na tua sombra horas e horas em frente a um parapeito cheio de objectos que te caracterizam diariamente pela simplicidade do que vestes em dias de calor e de frio. Houve uns tempos em que passaste por desgostos e desilusões e hoje é difícil romper-te aquela protecção dura que tanto se instalou em ti mesma, mesmo que por detrás, no fundo, sejas mole e derretas facilmente com coisas que te façam soltar a verdadeira pessoa que és. Para quem não te conhece és uma espécie de animal feroz onde ali ninguém te toca sem ser os mais próximos, tens dois lados opostos. Não é fácil fazer-te ver que algo está errado ou certo consoante a tua ideia e se assim o fizerem está o caldo entornado como tu sabes tão bem.
És daquele tipo de personagem que nunca se sabe o que se pode esperar de ti, se estás bem disposta ou se vens com aquela cara de que todos te devem e ninguém te paga e maioritariamente apresentaste com a última, se a vida não te corre como tu queres e nem a escrita te safa sendo essa que te alivia e te inspira numa aleatória forma de te conheceres a ti mesma, numa expressão de sentimentos que saem daí de dentro. Não gostas por nada que te mintam e o pior que te podem dar de volta é a ingratidão, isso é capaz de ser o que mais te magoa.
Ultimamente, tens sentido que só podes contar contigo mesma e as circunstâncias pedem-te por isso mas nada te reconforta tanto que umas noites bem dormidas como tu tanto gostam. Fisicamente e psicologicamente já te sentiste mais forte do que àquilo que aparentas ser mas isso não te deita abaixo por completo quando ainda tens aquilo que muitos poderiam desejar ter. Uma família e uma cheia de amigos que te ajudam a deitar cá para fora a maneira como gostas de poder soltar um sorriso com vontade.
E acho que me esqueci de um sentimento que te marca muito. O orgulho não é ? Esse dá cabo de ti.
Espera, isto é o meu reflexo aquele que nunca me larga não é ? Tenho que te levar comigo para sempre senão fosses tu aquilo que eu sou.
É um sentimento que mais se parece com uma pessoa ensopada de suor por tanta ansiedade junta. Diria que não são os dias que passam por nós e nem os vimos somos nós que passamos por eles como se a resistência de uma atitude tomasse por terminado esta indecisão frustrante. Eu acabava já com isto de uma vez para depois fingir que nada se passou entre nós. Hoje de manhã ainda te lembras de quem somos ? Ou fomos.

19/08/10

Ando um bocadinho vidrada nestes meninos!
You've applied the pressure
To have me crystalized
And you've got the faith
That I could bring paradise

Things have gotten closer to the sun
And I've done things in small doses
So don't think that I'm pushing you away
When you're the one that I've kept closest
#7 LETTER TO YOUR EX-BOYFRIEND/GIRLFRIEND/LOVE/CRUSH
#29 LETTER TO THE PERSON THAT YOU WANT TELL EVERTHING TO, BUT TOO AFRAID TO
Olá. Como vais?
Há muito tempo que não me deslumbras a vista. Não sei é dos contratempos ou se és tu que continuas na tua vida boémia ou se sou eu que ainda tremo quando vejo estampado o teu número de telefone no meu telemóvel. Não é todo em nós existir vergonha ou espaço para ressentimentos depois de muito tempo perdido um com o outro. O que é certo é que ainda mantenho um medo vivo de te falar ou simplesmente cruzar um olhar contigo. Tinha tanta coisa para te dizer e tu só lamentas é o facto de te continuares a enganar a ti mesmo. Eu já me limitei a corresponder ás tuas atitudes e hoje sinto-me não completamente mas quase indiferente ao tipo de coisas que escolheste para ti.
É óbvio que nunca vamos conseguir fazer de um ex-namoro uma amizade mas a questão que aqui se coloca é a maneira incompreendida que tu tens em achar que já não tens sentimentos e que todos eles foram destruídos por uma pessoa que sempre te adorou e ainda te guarda como se nada tivesses feito e como se um dia não lhe tivesses quebrado o coração.
#28 LETTER TO SOMEONE THAT CHANGED YOUR LIFE
(Comecei a escreve-la como se ninguém me parasse as palavras. Li e reli. Mas, no fim foi um delete em tudo. Não sei se é pela forma como estou distanciada do destinatário e exista ainda muita coisa para dizer que não se arranca e estabiliza-se dentro de uma protecção inquebrável. Esta prometo que a irei escrever muito brevemente.)
Talvez já não dê tanta importância a certas pessoas. Só para fixar-me num ponto e a partir dele perceber esta breve transparência.

18/08/10

O que me parece, para se juntar a mais uma das minhas muitas teorias é que nós temos uma tendência enorme para nos sentirmos atraídos pelo sofrimento.
Não nego mais a tua virtude e a maneira subtil como encaras cada sentimento que faz o seu sentido na tua mente. A tua coragem e sinceridade em desempenhar esse papel de quem não desiste do que quer até aos últimos instantes. Nada se torna possível sem se querer e muito menos por quem já viveu as instâncias de umas páginas inacabadas acredita que existe o 'para sempre'. Mas, aqui estou eu de novo empenhada em estar perto dos teus braços e da segura que me consegues transmitir como se ao teu lado fosse tudo sereno e sem maldade.
#21 LETTER TO SOMEONE YOU JUDGEG BY THEY FIRST IMPRESSION
#22 LETTER TO SOMEONE YOU WANT TO GIVE A SECOND CHANCE TO
#23 LETTER TO THE LAST PERSON YOU KISSED
#24 LETTER TO THE PERSON THAT GAVE YOUR FAVOURITE MEMORY
#25 LETTER TO THE PERSON YOU KNOW THAT IS GOING THROUGH THE WORST OF TIMES (Ver a carta do dia #20)
#26 LETTER TO THE LAST PERSON YOU MADE A PINKY PRIMISE TO
#27 LETTER TO THE FRIENDLIEST PERSON YOU KNEW FOR ONLY ONE DAY
(Vou ter de deixar estas para trás. Um dia, pode ser que me apeteça e as escreva.)
#20 LETTER TO THE ONE THAT BROKE YOUR HEART THE HARDEST
Não é fácil escrever para ti num momento destes em que a isolação de ambas nos preenche com o passar dos dias. Também, não me é completamente indiferente falar de nós como quem fala de um assunto diário e banal que nos ocupa a mente durante minutos e depois passa. Não. Existem coisas que guardo para te dizer e fazê-lo torna-se muito mais complicado do que dar o braço a torcer por conseguirmos ser as duas muito mais que orgulhosas. Não parte de mim quebrar este ambiente de cortar a faca nem menosprezar o que uma amizade precisa para se manter viva. Mas, porra não consigo ser de ferro. Não posso deixar de te lembrar que me magoaste muito e que num dos momentos que eu mais precisei de ti, andavas no mundo da lua preocupada e ocupada com outras coisas que nunca fizeram de ti a pessoa que és. Uma pessoa importante, como eu sempre te pôs esse rotulo na minha vida. Sim, posso estar a falhar-te agora mas tu não estás sozinha nem nunca vais estar. Tens pessoas que gostam de ti e isso devia bastar-te e não pensares que o mundo está a desabar. O único caminho para ti não é a fraqueza. Existem mais coisas para além disso. Tomei conhecimento no outro dia que sentes que te desejo mal, qualquer coisa que escreva serve para te mandar abaixo. E eu pergunto-me: Como é que és capaz de pensar isso ? Sinceramente já devias conhecer-me um bocadinho melhor. As aparências iludem muito mesmo e posso aparentar a minha brutidão que desdenho mas as coisas nem sempre são aquilo que parecem ser e devias tomar mais de ti uma coisa que sempre foi essencial em tudo, que passa por eu não conseguir desejar-te mal em momento algum apesar de todo o mal que me conseguiste fazer ingenuamente ou sem intenção ao longo de uns tempos. Agora, já não deixo que isso me afecte. Passo bem sem pensar nisso. Só queria acrescentar mais uma pequena coisa. Tu sabes que se precisares eu estou aqui. Como sempre estive.
#18 LETTER TO THE PERSON YOU WISH YOU COLD BE
#19 LETTER TO SOMEONE THAT PESTER YOUR MINE - GOOD OR BAD
(Estas ficam para um dia mais tarde)
Selo oficial da Ana Silva. Obrigada pelo selo e visitem: http://anadasilvaferreira.blogspot.com.

17/08/10

É uma brincadeira tão séria que nos torna incompletos como uma luva sem par.

15/08/10

Estou com uma soneira interminável, com os nervos à flor da pele, com uma constipação enervante e com uma ansiedade que não me larga nem um instante, nem por fora nem por dentro. Pareço-me uma pré-adolescente que acabou de sair do armário, onde as primeiras borbulhas apareceram e é o caos, em que surge o primeiro amor e o calor na barriga propaga uma desinquietação pouco normal e completamente rara. Como se costuma dizer só custa à primeira. Sei bem! Se a minha D e outrora me lessem os pensamentos neste preciso, exacto e intenso momento diriam: 'eu avisei-te, eu bem te disse que só ias dar conta quando o perdesses.' Estou pronta, para me chutarem isso tudo na cara porque mereço e mais, hei-de conseguir esboçar um sorriso em todos esses alarmes e coisas desgostosas que me esperam. Para além de tudo, sempre me consumi com este ar pouco tolerante e 'aqui ninguém me magoa'. Pois é, e agora as coisas não estão a correr como planeado, não mesmo. Já devia ter aprendido que não é a prever-se nada que se vai a algum lado, mas ao menos a experiência por se ter passado por diversas situações, pode ajudar noutras que se repitam. A verdade, é que só as martirizou. Sinceramente. Só complicou o que não devia. Dava por mim, a simplificar o mais belo e o mais podre não existia em altura nenhuma mesmo que se impossibilitasse de ter alguma transformação pelo melhor. 'O que é que te aconteceu, Sara ?'. Diz-me. Digam-me. Eu preciso de saber, preciso mesmo. Pouco importa, agora. Ou não, talvez seja quando mais interessa e é necessário fazer-se alguma coisa antes que possa ser tarde demais. Estas coisas da amizade ou dos amores são vingativas e matreiras. Só me resta pendurá-las e enforcá-las para não me darem tantos problemas.
- A isto represento como um Reboliço.
É demasiado tarde para poder voltar atrás e nem sei se valeria a pena.
Um obrigada à s pelo selo. Visitem:palavrasesoltas.blogspot.com
Impressiona-me um facto muito simples mas idêntico a umas ideias já experientes e formuladas em outros tempos. Só gostava mesmo de saber é a razão da tua persistência num engano que só nos interpreta para um lado das posições e é falacioso. Se já estás arrumado, mais que bem entendido, porquê continuar nisto ? Muita descrição não te faltou, lá isso é verdade e é simplesmente imaturo pensares que as coisas não se sabem quando tudo se sabe o que se quer saber. Acho que já o percebes-te e talvez queiras redimir os teus erros passados em conjunto com os meus. Foram muitos e tão pesados que o ciúme apoderou-se do corpo, tanto de um lado como do outro. Não te quero prender a uma coisa que nos afasta desde que descobrimos o nosso lado amoroso juntos. É mais que altura de venceres essa tua teimosia e encaminha-la para outra visão do que está perto de ti e em especial das tuas novas vontades. Não desprezarei o facto que não me senti bem mas também tenho de dizer que não foi um bicho de sete cabeças. Como sempre, espero que o tempo o diga, acho que é a mais valia mais permanente que se pode ter de uma coisa tão abstracta e invisível.
#17 LETTER TO SOMEONE FROM YOUR CHILDHOOD
Amigas e Amigos de infância só queria agradecer por todos os beliscões que me proporcionaram, todos os jogos ganhos e perdidos, as idas à praia com a creche. De pequenino é que se torce o pepino e isso aprendi-o com vocês.
Beijinhos.

14/08/10

Estou virada de cabeça para baixo e em que é que eu pego ? Em desatinações ?
Sei que fui que terminei com isto (como se nos fosse dado uma definição a este distúrbio que vivemos). Sei que fui eu que tornei tudo uma rotina sem fundamento nem razão sobre escolhas definitivas. Sei que fui eu que passei muito tempo a pensar demais sem imaginar que isso nos podia vir a prejudicar um dia. Sei que fui eu que me tornei pessimista e fiz com que não fossemos festejar este dia. Agarra-te a isso enquanto peço que o orgulho seja a força conduzida em todos os minutos por segundo.
#16 LETTER TO SOMEONE THAT'S NOT IN YOUR CITY OR COUNTRY
Já não te vejo vai fazer agora um ano e nem sabes como anseio por vir a viver perto de ti, minha madeirense. São coisas que não podemos mandar nelas, nem nada parecido a isso porque sei que se dependesse de nós já estamos a caminho de uma viagem com destino a não sei quantos sítios. És das pessoas de quem eu tenho mais saudades e que sempre me ensinou tudo o que sabia e o que sabe. Já falta pouquinho tempo para te ver com esse sorriso esmagador, para termos daquelas nossa noites que mais parecem um conta relógio. Sinceramente, preciso, necessito da tua auto-presença. Ainda para mais agora. Depois explico tudo.
Um beijo caloroso amiga!
#15 LETTER TO THE PERSON YOU MISS THE MOST
Não sei se é falta de tempo ou outro assunto que nos interrompe, que nos afasta e nos cria problemas vulgares mas difíceis de resolver. Sinto a tua falta. Muita mesmo. Mas, tens de entender que nem sempre podemos aceitar certas atitudes que não são as melhores e provam um lado da ingratidão muito negro e complexo. Os nossos feitios em muitas fases da nossa vida nunca coincidiram um com o outro. Considero-me uma pessoa directa enquanto tu guardas tudo para ti e preferes deixar-te ficar no silêncio mas se tudo te fosse indiferente ou insignificante. Parece que esqueces muitas das coisas que foram vividas. Momentos bons e complicados, tudo em roda de nós duas, sem negar qualquer abraço ou conversa para te ajudar. Passámos tudo aquilo que um adolescente atravessa. E desde que te conheço nunca me tinhas falhado até à data. Não sei o que significa este afastamento e tenho remoído nisso. Desta vez, não vai ser assim tão fácil. Espero que entendas um dia que não é só a mim que me fazes falta.

13/08/10

Sei de uma escrita pormenorizada que fala de vez em quando. Por vezes engrandece debaixo de uma grande camada de máscaras e facetas destruidoras que se perdem, outras formam barreiras protectoras que nem sempre são seguras. Não existem simbolismos nem segundas intenções numa palavra, pedem mais por olhares invulgares e permanentes. Dantes era um ensinamento muito acessível . Coisa pura, ingénua, frágil e intocável. Os pormenores que ainda se prenunciavam comodamente. Interminavelmente posso acabar com uma palavra muito estranha que me vem à cabeça constantemente e que se encontra muito fora do contexto ? Que fachada.
#13 LETTER TO SOMEONE YOU WISH COULD FORGIVE YOU
(Não tem destinatário. Só se fosse escrito na forma mais irónica possível. Sou uma pessoa muito orgulhosa e poucas desculpas.)
#14 LETTER TO SOMEONE YOU'VE DRIFTED AWAY FROM
(Esta a mesma coisa mas no seu sentido mais desiludido possível.)
Temos alguma coisa marcada para amanhã ? É que quero voltar a ver-te com barba e de cabelo encaracolado. A rejeição é só um acrescento, preciso das vozes numa espécie de convívio mutuo. Só naquela da amizade.

11/08/10

Tenho transpirado muito por uma noite destas. E é farra até cair estendida a ver o sol nascer. Hoje tenho disso onde por aqui amanheceu cedo e anoitece tarde.

10/08/10

E o que eu ponho a cor é:
Formaste-te na Faculdade

Fumaste cigarros
Ficaste inconsciente de bêbedo
Foste a todas as diversões de um parque
Coleccionaste algo mesmo idiota
Foste a um concerto de rock
Pescaste
Dançaste numa discoteca
Seguiste alguém no metro ou na rua porque o/a achaste interessante
Viste 4 filmes numa noite
Passaste 3 dias ou mais sem dormir
Mentiste a alguém
Acabaram um namoro contigo
Alguém te encornou
Cheiraste cocaína
Baldaste-te a uma aula
Fumaste ganza
Estiveste num acidente de carro
Estiveste num tornado
Usaste drogas pesadas
Viste alguém morrer
Estiveste num funeral
Ardeste um bocado de cabelo
Correste numa maratona
Voltaste de uma saída com um buraco de cigarro na roupa
Tiveste os pais divorciados
Choraste até adormecer
Gastaste mais de 200€ num único dia
Voaste num avião
Engataste alguém
Foste engatado/a
Escreveste uma carta de dez páginas
Velejaste
Cortaste uma parte do corpo propositadamente
Tiveste um melhor amigo
Perdeste alguém que amavas
Roubaste algo de uma loja
Estiveste na prisão
Foste suspenso
Foste culpado por algo que não fizeste
Roubaste livros de uma livraria
Foste a outro país
Abandonaste a escola
Estiveste num hospital psiquiátrico
Leste um livro do Harry Potter
Viste um filme do Harry Potter
Tiveste um diário online
Disparaste uma arma
Jogaste num casino
Participaste numa peça de escola
Foste despedido
Nadaste com golfinhos
Beijaste alguém do sexo oposto
Beijaste alguém do mesmo sexo
Escreveste um poema
Votaste no BB/Operação triunfo/Ídolos
Telefonaste para o Toca a ganhar
Leste mais de vinte livros num ano
Amaste alguém que não podias ter
Ficaste confuso acerca da tua sexualidade
Usaste um livro de pintar depois dos 12 anos
Fizeste uma cirurgia
Levaste pontos
Fartaste-te de esperar pelo metro/autocarro e apanhaste um táxi
Tiveste algum problema com álcool ou drogas
Participaste numa luta
Sofreste qualquer forma de abuso
Pintaste o cabelo
Fizeste uma tatuagem
Fizeste um piercing
Tiraste só notas 20
Estiveste entre os melhores alunos da escola
Foste mandado para um psicólogo
Foste algemado
Conheceste alguém com HIV ou SIDA
Tiraste fotos com uma webcam
Começaste um incêndio
Deste uma festa quando os pais não estavam em casa
Foste apanhado na alínea anterior
Fizeste amigos na net e conheceste-os ao vivo
Namoraste alguém conhecido na net
Fizeste várias tags como esta só para passar o tempo
Raramente não o faço quando oiço uma música. Que é ver a letra e o significado por detrás dela. Existe sempre um. Seja ele feliz ou infeliz interiormente e fixado num filme de 3 minutos e poucos segundos a mais. Hoje as minhas pesquisas foram fracamente desastrosas e por sinal violentamente interceptadas numa amostra real e impertinente sobre muitos factos que têm ocorrido. Habituei-me a acreditar naquelas superstições do destino, do nada é por acaso e consequentemente da astrologia. É verdade que a minha vida sentimental não vai de vento em polpa, nem se recomenda, mas até a coisa dos signos vir-me avisar indirectamente numa suavidade pouco agradável ? Incomoda-me bastante uma coisas destas: 'Não persista em erros já que alguns estão ligados a situações ilusórias que você próprio construiu. Não lute pelo que não existe.'
Será ilusão ou mais persistência ? E lutar nunca foi de mim fazê-lo. Sim, isto faz algum sentido e nexo mas custa interiorizar quando gostava e precisava que me dissessem exactamente o contrário! Tudo me persegue e me faz cair num erro completo. Ainda para mais quando a determinação me faz crer coisas reprováveis. Acho que vou deixar de ver este tipo de coisas. Sério.
A pior de todas as transformações que estes últimos tempos me trazem, enfraquecem e encorajam é a falta de precisão que a tua personalidade me revela e me mostra aos olhos atentos do que nos rodeia.
#12 LETTER TO THE PERSON YOU HATE MOST/CAUSED YOU A LOT OF PAIN
Com toda a certeza que esta carta é de todo muito maldosa e tem os seus quê's e porquês. Em primeiro lugar não me foi difícil pensar logo em ti quando a minha tarefa era fazê-lo, em segundo adorava que a lesses dos pés à cabeça sem interromperes com ataques de raiva (aqueles que tu bem sabes), em terceiro odeio esse teu nariz tão empinado.
Nunca nos demos muito bem. Sempre tentas-te passar à minha frente em tudo ; em questões de amizades e amores. O teu papel principal é seres maior parte do tempo o centro das atenções e não saberes que as pessoas falam mal de ti nas costas como quem muda de cuecas. Depois de um ano e tal sem nos falarmos e mal nos cruzarmos, eu pensei aliviada: 'Fogo, até que enfim que me vejo livre daquele bicho.' E é. Mas, ainda assim dava-me sempre um gozo especial gozar com o teu andar de bicos dos pés, a tua fácil habilidade em chamares de amor a alguém após dois dedos de conversa, julgares-te tão boa e tão bonita quando já corres-te dezenas de computadores com filmes teus em situações degradantes e humilhantes para a tua bela mãe que te ensinou desde pequenina a seres uma pessoa cheia de preconceito. Ok, não me vou encher mais de lamurias porque prometi-me à imenso que não o iria fazer mais contigo. Vais-te pôr na alheta em Setembro e eu faço vénias por isso.
Um beijinho muito adorável com a minha faceta mais irónica possível minha dálmata B.


(P.S- Detesto fazer isto mas está feito!)
#11 LETTER TO A DECEASED PERSON YOU WISH YOU COLD TALK TO
(passo esta. felizmente ainda não perdi ninguém próximo.)
Não gosto do que vejo, sinto, leio, escrevo e penso!
Quantas mais decisões terão de partir de mim ? Afinal sabes quem toma o contorno desta situação que continua a dar-me problemas fortemente constrangedores.

09/08/10

Quantas pausas vou ter de fazer para me arrancar de ti e depois entrar nos eixos ? Já me viste alguma vez num estado semi-cerrado entre duas paredes em que só entra ar pela fisga da porta ? Por quanto tempo direi a mim mesma que a cabeça tem de falar mais alto ? Até quando isto se prolonga num estimulo à loucura ?
Para a próxima arranjo as respostas!
Tenho por sombras de incertezas o que os dias trazem. É conflituoso desmarcar-me para um ponto onde não te levem comigo, nem se o fumo e a depressão estão lá marcados na hora exacta. Um consumo em alto vontades vindas de uma vida e meia a tentar equilibrar se os sentimentos devem ser todos reciprocos ou não e se basta agarrar neles e ir por aí fora ignorando o resto. Talvez, era o que deveríamos ter feito desde o inicio. Talvez, o fim não estaria tão próximo quanto isso.
#10 LETTER TO SOMEONE YOU DON'T TALK AS MUCH AS YOU'DE LIKE TO
(Foi-me complicado escolher a pessoa certa para escrever esta carta mas aqui vai disto)
Hoje não é um bom dia para te escrever. Não sei se é falta de inspiração ou falta de argumentos e alguma culpa no cartório mas vou tentar ser breve e directa.
Sei que agi mal contigo. E aqui não se dúvida da quantidade de tentativas que teria de fazer para pegar no telemóvel, mandar-te uma mensagem e combinar alguma coisa contigo como fazíamos. O que é certo, é que as pessoas afastam-se e nós já perdemos o contacto por aí. Já faz algum tempo. Muitas vezes a vontade não corresponde aos gestos e tu foste sempre uma pessoa muita guardada de ti mesma. Nunca te empenhas-te em teres muitas amigas porque o importante para ti era ter poucas mas boas e eu considerava-te uma das melhores como se estivesses lá sempre para mim com a tua máxima preocupação como tantas foram as nossas histórias. Nós não nos zangávamos, nós não partíamos em intrigas e segundas intenções. É tudo uma questão de orgulho e teimosia da nossa parte mas eu sei que se houver um dia e me dê na telha e fosse ter contigo tu abrias-me os braços nem que fosse por uma última vez. Desculpa a minha falta de palavreado, em que eu sei que isto tinha pano para mangas mas sobre ti sinto-me um bocado limitada por ainda me sentir tão próxima dos teus conselhos, minha J.

08/08/10

Tinha estes selos em atraso a algum tempo e obrigada ás duas meninas dos blogs: (silenciodosegredo.blogspot.com & catiamourisca.blogspot.com)
Tenho saudades tuas. Só e exclusivamente isso!
Nesta forma verbal do eu, deduzo-me sempre em erro quando penso que é facílimo imaginar-me sem as palavras correntes, provenientes da tua sabedoria, que me aliciam e me marcam de pormenores. Calavas-me com a tua boca e ainda assim a transparência era-me visível, menos na intensa grandiosidade do momento. Só peço que o tempo não perturbe a saudade.
Para a carta #6 falta-me imaginação para a escrever, a #7 deixa-me sem palavras, pode ser que um dia a escreva, a #8 e a #9 não têm destinatário.
#6 LETTER TO A STRANGER
#7 LETTER TO YOUR EX-BOYFRIEND/GIRLFRIEND/LOVE/CRUSH
#8 LETTER TO YOUR FAVOURITE INTERNET FRIEND
#9 LETTER TO SOMEONE YOU WISH YOU COLD MEET
Após vários acontecimentos no decorrer desta semana decidi mudar o URL do blogue. Apesar de ter sido mínima a mudança o que é certo é que vai fazer muita diferença. Já não vou ter pessoas indesejáveis a vê-lo a lê-lo a fundo, como se fosse um entrar na minha cabeça e uma invasão por ter muitos problemas de expressão. Estou cansada! Admito. Tentei remover-me disto porque qualquer coisa que eu faça vai sempre dar a ti, dou sempre asas à minha imaginação e lá se vai a consciência e o coração frio em alerta. Agora, tenho a certeza que não vens aqui. Tu e o resto. Restantes. Sei que isto é um sitio mesmo para se ler mas é algo que faz parte de mim e daquilo que eu preservo, me vai no pensamento quando escrevo qualquer coisa e prefiro que certas e determinadas personagens não ponham os olhos nisto. Mas, tenho dias. Alguns deles gostava que vissem para verem a porcaria que fazem ou para verem como me sinto culpada por muitas coisas que faço. É muito contraditório. Neste momento, ficamos assim. Ou melhor, deixarei-os na ignorância. Sem noticias minhas.

05/08/10

Queres quantos sorrisos falsos para cima da tua tromba ?
Onde é que tu estás ? Já te vi hoje ? Sei como andas, o que comes, o que bebes, a que horas te deitas, o que fazes ? É preciso perguntar ou dás-me já a resposta ? Bastava cinco minutos de pura de conversa e isto não voltava nada ao normal, se alguma vez isto o foi; o é; ou será. São complexidades bastante obscuras para serem dialogadas quando tenho passado muito tempo a praticar monólogos cá para comigo. É esquisito, sei tão bem. Apetecia-me um travo de um sabor qualquer, a menos que fosse amargo ou frio. Sei que a tua cama continua quente, o teu corpo continua a tremer e as tuas mãos continuam imóveis. Grandes e suaves. Mas quietas. E essa cabeça ? Já está no lugar ? A minha ainda anda aos trambolhões como se andasse numa maratona cheia de rasteiras pelo caminho. Como de costume. A isso habituei-me facilmente mas contraditoriamente. Se não te tivesses tu apaixonado pela pessoa que nunca está satisfeita com nada e que tem de ser sempre do contra. Até ti ainda vão uns longos e calorosos km. As minhas pernas não chegam mais a esse peito alto e inofensivo. Um dia. Quem sabe. Deixa-me conseguir digerir isto e depois podes seguir com a tua vida.
#5 LETTER TO YOUR DREAMS
Meus queridos sonhos,
tanto que me fazem magicar. Conheço-os a todos desde sempre, uns mais velhos que outros mas estão lá em todas as alturas. Sei que muitos de vocês são impossíveis de se concretizar ou serem completamente reais mas também sei que isto faz tudo parte do sub-consciente e daquilo que possuímos ter como nosso. É sempre uma mais valia serem abstractos e simplesmente tomarem tudo como um seguimento do dia de amanhã. Preciso muito de vocês. Ou preciso muito que se mantenham alerta e não me façam sonhar tanto. Só um bocadinho. De vez em quando.

04/08/10

#4 LETTER TO YOUR SIBLING (OR CLOSEST RELATIVE)
Oh minha peste! Começo por te dizer que detesto o facto de teres saído mais alta que eu, mais morena que eu, com um cabelo lindo e com uma personalidade tão vincada que me consegue tirar do sério muita vez! Tu sabes. Temos aqueles nossos desentendimentos, estás naquela idade da parvoíce e afins, pensaste dona da razão quando não deves e ás vezes esqueces-te que aqui a irmã mais velha sou eu! Mas whatever, és linda e não vivo sem ti, né minha defensora de unhas e dentes ? Vou continuar aqui para assistir a esse teu crescimento que cada vez parece ser mais rápido. Infelizmente e felizmente. Ainda me lembro de ti pequenina e com umas bochechas tão rosadinhas que parecias uma boneca. Agora, estás tão crescida e tão mulher'zinha do seu nariz.
Nunca te disse ou digo-o muito pouca vez como é de costume mas,
és a pessoa que eu MAIS gosto neste mundo!
É impressão minha ou avizinham-se aí muitos bons tempos ?

03/08/10

Acredito naquilo que vejo, oiço e toco. E tu também finges que estás feliz quando não estás, também mentes quando não te convém, também falhas no que dizes, também sabes que o que sentimos nem sempre é duradouro e acaba, também me deixas a pensar em ti e sabes fazê-lo melhor que ninguém. Desorientas-me. E o amor nunca vem uma vez só. Vem sempre em demasia.
#3 LETTER TO YOUR PARENTS
A vocês os dois, sei lá. Tanta coisa. Poderia escrever-vos mais de que uma carta e transcrever tudo em imagens ou filmes. Raramente predisponho qualquer sentimento que tenha por vocês, até já têm o habituado de dizer à medida que cresço: ''Tu és amarga, nunca mostras que gostas de nós.'' E é verdade. Tento contrariar, poucas vezes mas intensas, o meu feitio que herdei de ti, pai. Sim, porque tu és um bocadinho assim e é por isso que chocamos tantas vezes, que passamos muito do nosso tempo junto a embirrar ou a reclamar um com o outro e deve-se ao facto de sermos tão parecidos na nossa personalidade fria e distante. Por outro lado, existem aqueles episódios em que passamos uns longos minutos a rirmos-nos, a brincar como se fossemos dois putos acabados de aprender anedotas ou piadas sem jeito nenhum. E é disso que eu gosto. De meios termos e extremos. A ti, mãe, neste momento teria mais que escrever do que ao homem da casa. Não é pelo que te está a acontecer que isso já sei que és um pilar forte e rijo, difícil de abater. É pela tua força. Essa sim, sou capaz de ter herdado da tua pessoa. E orgulho-me tanto que até me enche a cabeça quando dou por mim a pensar em ti.
Mas não me vou prolongar por muito mais porque isto são só palavras e sei que vocês precisam mais de acções do que outra coisa qualquer. Fartos de me ouvir já estão vocês. Não me vou pôr para aqui a dizer que sou o que sou graças aos dois porque isso é sempre mais que óbvio e evidente, nem terei de mencionar o facto de me manterem sempre debaixo de olho me enerva solenemente que o sabem, nem falarei das coisas que me proporcionam e dão porque isso não tem preço nem quantia que exceda tal coisa. Por isso,
Gosto muito de vocês meu pai galinha e minha mãe protectora.

02/08/10

Tu desapareces-te mas eu continuo a ver-te. E apesar de continuar a esconder muito daquilo que sinto, sabes ? Tu sabes, continuo aqui que nem pedra porque para uns serem felizes outros deixam-se cair pela perda.
Lembras-te da última noite em que eu estava completamente embriagada ? Só descansei enquanto me encostei a ti e fechei os olhos. Quando acordei, sabia que ainda devias de lá estar e estavas. Como sempre.
#2 LETTER TO YOUR CRUSH
(Bem, era suposto escrever uma carta dirigida à minha paixão ou amor por assim dizer. Pois, agora não o vou fazer por várias razões e prefiro não mencioná-las. Pode ser que daqui a uns dias já tenha as minhas ideias em ordem e o faça, hoje, não lhe escreveria nada.)
Ás vezes os sentimentos trocam-nos as voltas. Eu que o diga.

01/08/10

#1 LETTER TO YOUR BEST FRIEND
Ainda no outro dia escrevi no meu blog sobre ti e fiquei com uma grande saudade de tudo aquilo que passámos. Gostava de te poder dizer muita coisa que nunca te disse. Pôr todo este orgulho num lugar onde eu não tivesse acesso a ele e agarrar-me a ti como sempre o fiz.. apesar de não sermos daquele tipo de pessoas que passamos a vida com demonstrações de afecto, nem mensagens amorosas, nem muito menos a fazer comentários que gostamos muito uma da outra em sites de redes sociais. Sempre, sem excepção, soubemos protegermos-nos uma à outra e preservar a cumplicidade que muita vez nos ajudou nos momentos que afectava uma, interferia com a outra. Já à algum tempo que não tenho oportunidade para te falar de muita coisa que guardo para dentro de mim e só acostumava partilhar contigo mas sei e mantenho a promessa de que uma vez juntas, juntas sempre. Sabes bem, que não sou de lamechismo nem de coisas parecidas com isto mas sei bem dizer-te a importância que tens.


Com o começo do mês mais quente do ano, descobri este desafio.

#1 LETTER TO YOUR BEST FRIEND
#2 LETTER TO YOUR CRUSH
#3 LETTER TO YOUR PARENTS
#4 LETTER TO YOUR SIBLING (OR CLOSEST RELATIVE)
#5 LETTER TO YOUR DREAMS
#6 LETTER TO A STRANGER
#7 LETTER TO YOUR EX-BOYFRIEND/GIRLFRIEND/LOVE/CRUSH
#8 LETTER TO YOUR FAVOURITE INTERNET FRIEND
#9 LETTER TO SOMEONE YOU WISH YOU COLD MEET
#10 LETTER TO SOMEONE YOU DON'T TALK AS MUCH AS YOU'DE LIKE TO
#11 LETTER TO A DECEASED PERSON YOU WISH YOU COLD TALK TO
#12 LETTER TO THE PERSON YOU HATE MOST/CAUSED YOU A LOT OF PAIN
#13 LETTER TO SOMEONE YOU WISH COULD FORGIVE YOU
#14 LETTER TO SOMEONE YOU'VE DRIFTED AWAY FROM
#15 LETTER TO THE PERSON YOU MISS THE MOST
#16 LETTER TO SOMEONE THAT'S NOT IN YOUR CITY OR COUNTRY
#17 LETTER TO SOMEONE FROM YOUR CHILDHOOD
#18 LETTER TO THE PERSON YOU WISH YOU COLD BE
#19 LETTER TO SOMEONE THAT PESTER YOUR MINE - GOOD OR BAD
#20 LETTER TO THE ONE THAT BROKE YOUR HEART THE HARDEST
#21 LETTER TO SOMEONE YOU JUDGEG BY THEY FIRST IMPRESSION
#22 LETTER TO SOMEONE YOU WANT TO GIVE A SECOND CHANGE TO
#23 LETTER TO THE LAST PERSON YOU KISSED
#24 LETTER TO THE PERSON THAT GAVE YOUR FAVOURITE MEMORY
#25 LETTER TO THE PERSON YOU KNOW THAT IS GOING THROUGH THE WORST OF TIMES
#26 LETTER TO THE LAST PERSON YOU MADE A PINKY PRIMISE TO
#27 LETTER TO THE FRIENDLIEST PERSON YOU KNEW FOR ONLY ONE DAY
#28 LETTER TO SOMEONE THAT CHANGED YOUR LIFE
#29 LETTER TO THE PERSON THAT YOU WANT TELL EVERTHING TO, BUT TOO AFRAID TO
#30 LETTER TO YOUR REFLECTION IN THE MIRROR
Não te esqueço. Não te esqueço e não te esqueço. Não é preciso responder-se para se ter resposta, eu ficava por te cumprimentar com um grande beijo nesses lábios.
Lembro-me disto do principio ao fim.
É tudo tão platónico que já me esqueço de voar em sonhos.
Sinto-me impotente para fazer alguma coisa que seja em relação a duas pessoas que reinam a teimosia, deixam-se levar por impulsos e não pensam por uma vez que estou no meio disto e aquilo que mais quero é sossego, silêncio. Apetece-me mandar de um sitio abaixo e não acordar por umas semanas largas.