13/08/10

Sei de uma escrita pormenorizada que fala de vez em quando. Por vezes engrandece debaixo de uma grande camada de máscaras e facetas destruidoras que se perdem, outras formam barreiras protectoras que nem sempre são seguras. Não existem simbolismos nem segundas intenções numa palavra, pedem mais por olhares invulgares e permanentes. Dantes era um ensinamento muito acessível . Coisa pura, ingénua, frágil e intocável. Os pormenores que ainda se prenunciavam comodamente. Interminavelmente posso acabar com uma palavra muito estranha que me vem à cabeça constantemente e que se encontra muito fora do contexto ? Que fachada.

4 comentários:

  1. posso começar c uma palavra mt propria deste teu texto? q confusão

    ResponderEliminar
  2. E são tantas fachadas iultimamente.

    ResponderEliminar