02/04/10

Calafrios, de calor, um apertão gelado e: caímos. De relance, é uma queda conjunta, e a nossa desorientada fasquia sobressai. O que de muito poderíamos fazer, escapa-nos. São acusações sem fundamentos, confrontações sem relevância, um rodopio descomunal.
Só te poderei dizer, nesta altura, onde todas as coisas se atravessam à nossa frente, que a principal escolha, é a libertação que nos amarra.
Um obrigado, adeus ? Apenas te deixo, com as maiores das saudades, e pensa: o limiar da loucura insere-se na transparência que nos aflige. Em dia algum, irás tornar-te menos que isso. É de pessoas como tu que o mundo deveria estar cheio.
A sombra que nos mata por fora, não desfalece o sentimento que está por dentro. De todo, é impossível chegarmos ao alcance de alguém.

14 comentários:

  1. não te despeças de quem tanto te ensina, sem saber, a descodificar esses calafrios, esses apertões gelados e essas quedas. Pois até as coisas que menos nos agradam têm de ser ensinadas por alguém e é assim que vamos alcançar a aprendizagem de um pouco de alguma coisa, não de tudo, isso , só na recta final.

    Um beijo, gostei (muito)

    ResponderEliminar
  2. Antes demais está lindo.
    E ao ler este texto parece que me consigo ver nele. E com toda a certeza que é verdade, é impossível chegarmos ao alcance de alguém.

    gostei muito

    ResponderEliminar
  3. são presenças que nos ajudam a interpretar cada significado gelado, sentimento soberbo, justo ou incondicional. verdadeiro ou não, ensinou-te a valorizar, sej alá o que for.
    adorei

    ResponderEliminar
  4. Outro texto bonito, Sara :)

    ResponderEliminar
  5. e de que maneira! adoro as fotos que pões aqui Sarinha

    ResponderEliminar
  6. "Apenas te deixo, com as maiores das saudades, e pensa: o limiar da loucura insere-se na transparência que nos aflige. Em dia algum, irás tornar-te menos que isso. É de pessoas como tu que o mundo deveria estar cheio."

    é o limiar da loucura que nos leva a viver em plenitude, a ser felizes sem medo e a arriscar sem temer perder, e sim, de facto o mundo deveria de estar cheio disso, de loucura moderada e transparência. o teu texto está maravilhoso, mas este paragrafo está mais do que isso: divinal.

    ResponderEliminar
  7. concordo inteiramente contigo, ainda bem que os sonhos existem

    ResponderEliminar
  8. e tu também, ainda mais.

    ResponderEliminar
  9. Esta mesmo bonito!

    ResponderEliminar
  10. "Apenas te deixo, com as maiores das saudades, e pensa: o limiar da loucura insere-se na transparência que nos aflige. Em dia algum, irás tornar-te menos que isso. É de pessoas como tu que o mundo deveria estar cheio."

    É neste limiar, neste patamar, que te tornas mais transparente, que atinges o auge dos sentimentos. e sim, o mundo deveria estar completo disto mesmo : loucura, moderada mas loucura apenas.
    desculpa estar a 'invadir' isto mas não pude resistir. está perfeito! (:

    ResponderEliminar
  11. não é incomodo nenhum ! nenhum mesmo. estava a dizer que eu gosto quando esta 'loucura' se apodera (:
    adoro este blog, e vou começar a seguir. obrigada, obrigada,obrigada, está perfeito! ♥

    ResponderEliminar
  12. é mesmo, tudo faz parte, tanto a loucura como a desilusão. eu gosto de, por vezes estar envolta em vários sentimentos,faz-me sentir viva! loucura, essa que nos abre os olhos para certos factos que nos destinamos ou forçamos fechar os olhos e cerrá-los. escreves mesmo bem :) está mesmo lovely este blog ♥

    ResponderEliminar
  13. é que não duvides, são mesmo os sentimentos a base da escrita, na minha opinião! adoro adoro este blog! parabéns * (:

    ResponderEliminar