27/05/10

Pedimos de mais quando não precisamos, desejamos arduamente quando temos em demasia, não olhamos a fundo para o redor e a disponibilidade do bem estar chega repentinamente. Por muito que isso tenha um valor recompensador nem damos conta do que temos enquanto é bom. Sim, é verídico, que através da perda maternal podemos verificar um descongestionante factor de arrependimento ou derivados. Talvez, a pressão dos momentos motive para este tipo de comportamento mas a múltipla verdade ao contar desde sempre com as atitudes, é devastado para um ponto que resta saber quando rompe com a realidade e deixa a ilusão ser ultrapassada. Não é de fácil entendimento, muito menos perceptível a qualquer ouvido ou por simplesmente a outra coisa que existe por acaso sem ser conhecido a sua existência. Inevitavelmente, é necessário energia, motivação, força, alma, ou seja todos os sentimentos que levam daí em diante um belo caminho a andar sem correrias e sem tropeçar pelo meio. Parece impossível certo ?

10 comentários:

  1. adorei este texto, escreves tão bem! :)

    ResponderEliminar
  2. dificil
    por onde andas garota?*

    ResponderEliminar
  3. mas tu andas na lua, já nem te vejo. quem espera novidades sou eu, n te escapas!*

    ResponderEliminar
  4. fiquei colada a estes textos*

    ResponderEliminar
  5. adorei este texto .

    ResponderEliminar