05/04/10

Revolta-me saber que errei tanto, que fiz muitas escolhas das quais nunca fui capaz de levar uma até ao fim, magoei pessoas incapazes de serem merecedores de tal afronta, deduzi-me em incertezas vezes e vezes. Houve alturas, que nem eu mesma me sentia no meu eu, que atitudes eram aquelas ? Posso dizer, que o tempo salta, pára, corre e acelera, e de todos os acontecimentos imprevisíveis, arrependo-me de muitos, atitudes inconscientes e indispensáveis. Foi, tudo de rompante, sem espera, sem sentimento, sem nada mais para dar, senão coisas ligeiramente agidas por impulso. De momento, depois de acordar após imensos contratempos, coisas que nem lembra a ninguém, não peço compreensão da tua parte, muito menos respeito após o meu valente falhanço em questão a ditas promessas. Só quero, poder livrar-me de todas as opiniões de terceiros, de ouvir de um lado e do outro, onde tentam escolher o meu sorriso e tomam-no como adquirido quando, assim não o é. Eu sei, sei bem, que tenho de aprender a ouvir, e faço-o sempre, aliás, exijo-o fazer. É de todas as coisas que preciso como bem essencial na minha vida, ter as pessoas de quem mais gosto do meu lado, a tomarem conta de mim para eu saber tomar conta delas, penso nisso sempre quando me ocorre um pensamento plausível no meio de tantos absurdos. Se me perguntarem: quando é que te decides ? eu digo: no fundo, soube desde o principio qual era a minha decisão final, qual era o meu maior instinto, a minha melhor cara por ter quem me fazia ter as pulsações mais rápidas, desde o inicio que o soube, mas sempre o tentei negar, esconder, esquecer, por medo, por estar incapacitada para definir do que se tratava, verdadeiramente.

8 comentários:

  1. Sim, durante duas semanas não vai haver mais nada : )

    ResponderEliminar
  2. Uma Tara/Mania? Participas? ;)

    ResponderEliminar
  3. está muito bonito (:*

    ResponderEliminar
  4. normalmente agimos sem pensar e quando demos por ela já e tarde demais, erramos mas temos de também saber reflectir.

    ResponderEliminar
  5. gosto do blog,
    vou seguir! :)

    ResponderEliminar
  6. Gonçalo Mendes11.4.10

    Quando a inteligencia emocional se revela como entidade superlativa, cometemos as maiores asneiras mas, despertamos os melhores sentidos. Caímos. Levantamo-nos mais imunes.

    Parabéns. Continuarei a vigilia velada.

    Beijinhos do primo.

    ResponderEliminar