01/04/10

Recuando umas dezenas de dias atrás.
Uma noite meia embriagada, uns copos no chão, um banco e duas pessoas desconhecidas na conversa. Ligadas por dois amigos opostos, ás 4h da manhã em plena rua a fazer-se sabe-se lá o quê, é do destino. Revendo tudo, parece coisa de filme.
Hoje, somos completamente vidrados na presença comum diária, um do outro. Só se ouvem pausas, o nosso trajecto foi feito disto.

És o causador deste meu isolamento após o teu aparecimento na minha vida. Foi a de muitas gostas de água.
Um pedido muito simples ? Odeia-me, despreza-me com toda essa tua força extraordinária que só tu tens.

11 comentários:

  1. sim *.* também costumo acordar com esse sentimento.
    AMO a música que aqui tens, é linda *.*

    ResponderEliminar
  2. e eu adoro assim do tipo muito, o teu querido blog sem nome mas cem coisas

    ResponderEliminar
  3. e eu a ti. sabes. esta música toca mesmo lá no fundo do meu coração. quase que choro

    ResponderEliminar
  4. Muito obrigado pelo comentário, também gosto do que escreves :) adoro a música de fundo, é linda!

    (tornei-me seguidora.*)

    ResponderEliminar
  5. Embora escreva com cuidado para transmitir da melhor maneira o que sinto e acho, creio que escrevo como as outras pessoas :$

    ResponderEliminar
  6. n peças coisas assim. n vai resultar, garanto-te. é por eperiencia propria*

    ResponderEliminar
  7. Exactamente, fofinha :)

    ResponderEliminar
  8. Never say never. (You never know.)

    ResponderEliminar
  9. Não sei bem que dizer ao ler este post, mas talvez o melhor será relembrar-te que a vida dá sempre muitas, muitas voltas.

    ResponderEliminar
  10. Não, não o terei mais. tenho pena que seja a única certeza que tenho, mas é verdade.

    ResponderEliminar